pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

09.07.14
|
Eficiência Luminosa e Energética
Fonte: Administradores - 08.07.2014
Brasil - Eficiência (ou rendimento) luminosa é um parâmetro que indica quão eficientemente uma fonte luminosa converte a energia que recebe (por exemplo, energia elétrica) em luz. Ela relaciona o fluxo luminoso (em lúmens) emitido pela fonte em relação à potência despendida para alimentá-la (normalmente medida em watts).

Fatores

Alguns dos fatores que determinarão o quanto determinado ponto será iluminado são: o formato da lâmpada (por exemplo, lâmpadas compactas espirais têm aproveitamento mais eficiente da luz que as compactas tradicionais, por terem maior superfície e maior volume de gás) e o tipo de luminária (por exemplo, a utilização de folhas de alumínio como refletores na parte interna da luminária melhora o aproveitamento da luz emitida).

Mas o fator preponderante na escolha da lâmpada passou a ser a tecnologia utilizada na confecção das lâmpadas. Para iluminação doméstica e corporativa há essencialmente três tipos delas: a tradicional incandescente (com filamento de tungstênio em um bulbo de vidro com vácuo e cuja produção vai sendo gradativamente proibida mundo afora), as fluorescentes de geração mais moderna (compactas e as tubulares T5) e as lâmpadas a LED.

Quanto às lâmpadas compactas, as de uso residencial têm reator integrado e as de uso comercial, reator não integrado ao corpo da lâmpada. A lâmpada com reator integrado facilita a substituição do conjunto e tem a mesma eficiência luminosa, porém pode significar um desperdício, considerando que a vida útil da lâmpada é menor que a do reator. Numa instalação comercial, onde há mais mão-de-obra disponível, é mais conveniente o uso da lâmpada compacta com reator não integrado.

Consumo, vida útil e custo-benefício

Quanto às lâmpadas baseadas em LED, se elas ainda têm um custo inicial elevado – que vai caindo drasticamente conforme elas se massificam a produção – sua eficiência luminosa pode chegar a três ou quatro vezes a da lâmpada fluorescente e mais de 10 vezes a da incandescente. Além disto, sua vida útil chega a ser 50 vezes maior que a da incandescente e elas permitem uma maior flexibilidade na criação de modelos de luminárias.

O ROI (retorno sobre investimento) através do uso de iluminação a LED é mais facilmente mensurável em hotéis, onde as lâmpadas costumam ficar acesas em regime 24x7 e as equipes de manutenção têm custo elevado.

Embora o ROI ainda não seja algo tão simples de se calcular em residências, devido à variedade de tipos e uso das lâmpadas, há um ganho perceptível pelo fato de que as lâmpadas a LED não provocam aquecimento do ambiente de maneira tão intensa quanto as lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, pois o calor produzido pelo LED não está na luz emitida, mas apenas no corpo da lâmpada. E menor aquecimento do ambiente reflete-se também em maior eficiência energética.

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas