pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

05.02.20
|
Fórum firma agenda de cooperação conjunta entre Brasil e Estados Unidos
Fonte: Procel Info - 05.02.2020
Rio de Janeiro – O primeiro Fórum de Energia Brasil-Estados Unidos (USBEF), realizado no Rio de Janeiro, na última segunda-feira (03), marcou o início de uma agenda de cooperação bilateral para superar desafios para o comércio e investimentos em energia. O Ministro Bento Albuquerque coordenou o evento pela parte brasileira em conjunto com Secretário de Energia, Dan Brouillette, que representou os Estados Unidos.

“Acredito que o Brasil e os Estados Unidos tenham um papel importante a desempenhar no mundo, e nós, no setor de energia, iniciamos essa colaboração e daremos nossa contribuição para o futuro da humanidade”, afirmou o Ministro.

No encontro, também foi divulgado o Plano de Ação dos dois países para 2020 nas áreas de óleo e gás, energia nuclear e eficiência energética. Para a área de óleo e gás, existem sete pontos: discutir as melhores práticas ambientais para petróleo e gás offshore, promover / atrair investimentos dos EUA para os recursos de petróleo e gás no âmbito do programa Open Acreage, ajudar a Petrobras a disseminar oportunidades de desinvestimento para potenciais investidores dos EUA, promover a cooperação em segurança cibernética nos setores de petróleo e gás, acelerar o crescimento e desenvolvimento do mercado de gás natural no Brasil, juntamente com a correspondente reforma regulatória, promover o marco regulatório para o descomissionamento offshore de petróleo e gás no Brasil, apoio técnico e regulatório ao desenvolvimento de hidrocarbonetos não convencionais no Brasil.

Energia nuclear também foi um dos temas abordados no encontro. O tema está na pauta de diversos países, inclusive com apoio da Agência Internacional de Energia e da Organização das Nações Unidas (ONU) por contribuir para a produção de energia não-emissora de gases do efeito estufa no momento em que o mundo se encontra em transição para uma economia de baixo carbono. Foi debatida a importância do uso pacífico da energia nuclear, de maneira a cumprir os mais elevados níveis de segurança e de proteção nuclear. Foi destacado que o Brasil tem vantagens únicas nesta área, uma vez que domina o ciclo de combustível nuclear, possui grandes reservas de urânio e opera usinas nucleares com sucesso há mais de 30 anos. A parceria com os EUA é especialmente importante devido a sua ampla experiência com a tecnologia.

No Plano de Ação, a energia nuclear conta com: Parceria técnica, econômica e comercial para concluir Angra-3 (TBD), Parceria técnica e econômica para a renovação da licença de operação de Angra-1, prolongando sua vida útil de 40 para 60 anos.

Também foram debatidos os temas de eficiência energética e de geração distribuída. Na indústria, a eficiência energética é uma grande aliada, pois pode levar a redução de custos de, no mínimo, 16 bilhões de dólares por ano, segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), devido à economia de energia e à redução dos custos de manutenção de máquina. Foram apresentados dados que mostram que o crescimento da geração distribuída no Brasil é exponencial, tendo atingido 230 mil unidades consumidoras e mais de 2 GW de capacidade instalada no início de 2020. Os debates no encontro trataram das possibilidades de aprimoramento sustentável das regras para geração distribuída e armazenamento, ao mesmo tempo em que se definem as condições de contorno para o crescimento do mercado de veículos mais eficientes.

No Plano de Ação, a eficiência energética conta com cinco pontos: Suporte político, comercial e regulatório para acelerar a adoção e implantação sustentável de geração e armazenamento distribuídos de eletricidade; Tecnologia de veículos elétricos e armazenamento relacionado no Brasil; Suporte político, comercial e regulatório para permitir a adoção do gerenciamento do lado da demanda, incluindo estruturas tarifárias e tecnologias que estimulam o comportamento do consumidor; Apoio político e técnico ao desenvolvimento e implementação de programas de eficiência energética industrial, como Melhores Plantas e Centros de Avaliação Industrial; Promover mecanismos de financiamento e Cooperação técnica em carvão sustentável e CAC.

Paralelo ao Fórum USBEF, ocorreu no mesmo local a assinatura do Memorando de Entendimento entre a Associação Brasileira para Desenvolvimento Atividades Nucleares - ABDAN e o Instituto de Energia Nuclear dos Estados Unidos (NEI) para reforçar a importância da cooperação EUA-Brasil no setor nuclear. O Ministro e o Secretário americano acompanharam a cerimônia.

Também foi assinada uma Carta de Intenções entre a Eletronuclear e a Westinghouse para formalizar a negociação para entrega de um Programa de Análises de Engenharia, fase inicial de um Programa de Operação de Longo Prazo para Angra 1.

No início da tarde, houve um encontro dos líderes dos dois governos com o setor privado, com o objetivo de apresentar aos potenciais investidores as oportunidades de negócios e parcerias que foram discutidas na reunião interministerial ocorrida nesta manhã.

O Secretário de Energia dos Estados Unidos, Dan Brouillette, agradeceu ao Ministro Bento pelo diálogo bilateral e mostrou entusiasmo com a nova agenda: "Espero que este seja apenas o começo de uma estreita relação de trabalho durante este momento emocionante em energia para o Brasil e os Estados Unidos."

*Com informações do Ministério de Minas e Energia
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas