pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

06.05.20
|
Furnas energiza sua primeira usina solar e estreia na geração distribuída de energia
Fonte: Procel Info - 06.05.2020
crédito: Wender Lucas
Rio de Janeiro - Furnas energizou na última segunda-feira (4), sua primeira usina solar fotovoltaica, estreando na geração distribuída de energia. Essa é a primeira das três usinas fotovoltaicas que estão sendo construídas próximas à UHE Anta, localizada no rio Paraíba do Sul, divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

As usinas têm potência de 1,2 MWp cada, totalizando 3,6 MWp, energia suficiente para 3.600 residências. As outras duas usinas solares de Anta serão energizadas até a próxima semana. Com o projeto, classificado como de Autoconsumo Remoto de Geração Distribuída, Furnas estima reduzir em cerca de 40% os gastos anuais com energia elétrica no estado do RJ.

O objetivo da iniciativa é explorar a potencialidade das áreas adjacentes e espelhos dos reservatórios das hidrelétricas da empresa com a implementação de parques solares. Além de Anta, estão em construção usinas solares na UHE Itumbiara (MG/GO) e na Usina Termelétrica (UTE) de Campos (RJ). O projeto será ampliado para compensar toda a energia consumida por Furnas em suas instalações.

A empresa também está fazendo estudos e medições solarimétricas para projetos de geração fotovoltaica em áreas contíguas às usinas de Batalha (MG/GO), Estreito (MG/SP), Marimbondo (MG/SP) e Corumbá I (GO). Quando em operação, as usinas solares de Furnas terão uma potência instalada de 180 MWp. São projetos em áreas remanescentes dos empreendimentos e no espelho d´água dos reservatórios, para a venda de energia, seja no ambiente regulado, seja no mercado livre.

Além de não afetar o meio ambiente e aproveitar a absorção de calor no espelho d’água, no caso das flutuantes, a geração solar complementar, quando instalada em locais próximos às usinas existentes, aproveita a estrutura de transmissão já em operação, reduzindo custos. A iniciativa está em linha com os objetivos definidos no Planejamento Estratégico da empresa no sentido de viabilizar negócios que possuam sinergia com a infraestrutura existente.

*Com informações de Furnas
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas