pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

16.12.19
|
Quando ganha a empresa, a sociedade e o planeta
Fonte: Estadão.com - 13.12.2019
São Paulo – A busca de eficiência energética, além dos ganhos econômicos, tem relação direta com a sustentabilidade e meio ambiente. De um lado, podem ajudar na preservação de recursos naturais e na redução das emissões de carbono. De outro, podem ajudar a evitar mudanças climáticas, já que o setor de energia é o que mais emite gases de efeito estufa. O gerente comercial da CPFL Soluções, José Roberto de Fabre, explica que a primeira vantagem dos projetos de eficiência energética é o fato de estarem ligados a fontes de energia limpas. “Quando uma empresa gera sua própria energia em um processo limpo, ela já está contribuindo para a sustentabilidade”, afirma. Um exemplo claro desta relação foi apresentado em agosto deste ano durante o Fórum Permanente: Clima e Saúde, realizado na Unicamp. Um estudo da International Energy Initiative Brasil (IEI Brasil), chamado Projeto Kigali, calculou os benefícios de cinco cenários de eficiência energética projetados a partir da adoção de diferentes valores de Padrão Mínimo de Eficiência Energética (PMEE) para os condicionadores de ar do tipo split system no Brasil.

Esses cenários foram comparados com a atual situação dos sistemas de condicionamento de ar brasileiros e, no cenário que adota a melhor tecnologia disponível no mercado, seriam economizados 16 TWh de eletricidade anualmente até o ano de 2035 e seriam reduzidas 60 milhões de toneladas (Mt) de carbono em emissões de 2021 a 2035. O Projeto Kigali é baseado na Emenda de Kigali do Protocolo de Montreal, que prevê a substituição dos gases com alto potencial de aquecimento global (GWP, na sigla em inglês) dos ares-condicionados e a implementação de novos padrões de eficiência energética para esses equipamentos.

Os benefícios para o meio ambiente são claros, mas Fabre lembra que, apesar do aumento crescente dos projetos de eficiência, ainda não são suficientes para estimular novas iniciativas energéticas. “Existe um crescente interesse pelos modelos de eficiência energética, mas ainda muito mais motivados pela economia direta nas contas das empresas do que pela sustentabilidade”, explica o executivo, lembrando que as empresas brasileiras ainda contam com custos elevados para algumas soluções de eficiência energética.

“Acredito que, pela maturidade do tema, as multinacionais apresentam uma maior familiaridade para discussões e investimentos em projetos sustentáveis, como, por exemplo, reduções de níveis de carbono atrelados a redução do consumo de energia e utilização de fontes renováveis. As empresas nacionais estão cada vez mais aderentes a implantação de sistemas sustentáveis, porém, devido aos custos de implantação, este aumento está acontecendo de forma cautelosa”, diz Fabre. Um exemplo de incentivo que promove a implantação de projetos de eficiência Energética é o Programa de Eficiência Energética (PEE) da Aneel, que determina que as distribuidoras desenvolvam projetos de eficiência energética em suas áreas de concessão. “Esse é um incentivo que está contribuindo muito com a expansão dos projetos e da cultura sustentável”, compara.

 

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas