pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

03.06.20
|
Fiep e Senai-PR têm a terceira unidade certificada LEED Platinum
Fonte: GBC Brasil - 02.06.2020
Paraná - O Instituto Senai de Inovação (ISI) em Engenharia de Estruturas, em Maringá, acaba de receber a certificação LEED Platinum. A edificação é a 3ª do Senai-PR certificada LEED, junto com o ISI Eletroquímica e o Senai Celso Charuri, ambos em Curitiba. No sistema nacional, a Fiep e o Senai-PR são as únicas entidades com unidades certificadas LEED Platinum, até o momento.

“O selo atesta que a edificação foi construída seguindo as premissas de sustentabilidade e eficiência, reduzindo os impactos da obra no meio ambiente e gerando economia em energia e água, além de conforto aos ocupantes”, explica Bruno Martinez, diretor técnico da Petinelli, empresa de consultoria em sustentabilidade para a certificação de edifícios LEED e WELL.

Inaugurado em setembro de 2019, o ISI Engenharia de Estruturas, em Maringá, tem 3.746,02 metros quadrados de área útil, sendo 21 salas para o funcionamento dos laboratórios, quatro salas administrativas e áreas de apoio, além de uma área de 1.105,12 metros quadrados de terraço para receber as futuras expansões.

“A evolução de um produto tem que ser dinâmica e você precisa de investimentos constantes no desenvolvimento tecnológico. Os institutos dão suporte tecnológico e isso desenvolve a indústria como um todo”, destaca o presidente do Sistema Fiep, Carlos Walter Martins Pedro.

As instalações foram projetadas para oferecer acessibilidade e têm elevador, sanitários para pessoas com deficiência nos dois pavimentos, corrimão em duas alturas em todas as escadas e identificação tátil de piso, conforme normas brasileiras, além de vagas de estacionamento para pessoas com deficiência e idosos. Os meios de transporte alternativos são estimulados por meio de bicicletário coberto e com infraestrutura de chuveiros, além de carregadores para carros elétricos.

Eficiência em energia

De acordo com o diretor técnico da Petinelli, Bruno Martinez, o conjunto de soluções em eficiência e a instalação de painel fotovoltaico para geração da própria energia, medidas implantadas no ISI Engenharia de Estruturas, em Maringá, resultam numa economia de 56,4%, o que corresponde a quase R$ 224 mil por ano.

O painel fotovoltaico instalado no telhado da edificação tem 224 módulos com potência instalada de 74 kW. A previsão de geração de energia anual é de 330 MWh/ano, o que corresponde a 30% da demanda total para operação da edificação. “Somente a geração de energia por meio dos painéis solares garante uma economia de R$ 55 mil por ano em custos com energia”, destaca Martinez.

Os materiais escolhidos garantem o aumento da qualidade do ambiente interno e melhoram a eficiência energética, como o uso de telhas do tipo sanduíche com acabamento externo branco. “Elas reduzem o ganho de calor e, consequentemente, diminuem a dependência de ar-condicionado nos ambientes. Ainda, promovem o isolamento acústico, oferecendo mais conforto aos ocupantes”, explica Martinez.

Os acabamentos internos foram especificados de forma a maximizar a iluminação, proporcionando um melhor desempenho energético. Segundo Martinez, por serem mais claros, contribuem para maior reflexão interna da luz no ambiente, ampliando o potencial de aproveitamento de iluminação natural e reduzindo a necessidade do sistema de iluminação artificial.

As luminárias utilizadas são 100% LED, com menor consumo de energia elétrica. O acionamento ocorre através de sensores de presença e movimento de alta sensibilidade. Também é possível ajustar o acionamento, o nível de luminosidade natural do ambiente e o tempo de desativação via Bluetooth.

Na área de escritórios, a iluminação é dimerizável. As tomadas têm um sistema de desligamento através de programadores horários para que, no período noturno, quando não houver utilização do ambiente, parte delas fique desenergizada, evitando o desperdício de energia.

O acionamento da iluminação externa ocorre através de fotocélulas, juntamente com programadores horários em série, para garantir o acionamento apenas no período noturno e nos horários desejados. Para reduzir a poluição luminosa, foram usadas luminárias com faixo de luz direcionado para o solo, a fim de iluminar os locais de circulação e evitar desperdício.

O sistema de climatização é composto por aparelhos de ar-condicionado tipo VRF, que uniformizam a distribuição do ar nos ambientes e possuem filtros eficientes que aumentam a retenção de partículas, melhorando a qualidade do ar. Também foi projetada a renovação de ar em todas as áreas ocupadas, como nos corredores, salas de aula e laboratórios.

Na área de Tecnologia da Informação, além do atendimento do sistema central, há um backup, responsável pela refrigeração do local nos horários em que o sistema fica desligado, que é controlado remotamente pelo computador.

Reúso da água

O diretor técnico da Petinelli, Bruno Martinez, diz que as soluções para reaproveitamento e reúso da água adotadas no ISI Engenharia de Estruturas, em Maringá, garantem uma economia de 73% para a edificação, o que corresponde a cerca de R$ 10 mil por ano.

Um dos principais itens de sustentabilidade do edifício é o seu sistema de gerenciamento de água de chuva, capaz de infiltrar 100% da água que cai no terreno. O sistema compreende a instalação de trincheiras, áreas no solo preenchidas com brita e protegidas com grelhas, que permitem o armazenamento de 240 mil litros de água que são infiltrados no solo, em vez de escoados nas galerias pluviais, evitando a sobrecarga de drenagem pública.

Do volume total de água que cai sobre os telhados do edifício, 40% é direcionado a uma estação de tratamento e depositado num reservatório com capacidade de 20 mil litros para, após tratada, a água ser utilizada nas válvulas de descargas e torneiras de manutenção e limpeza.

Além disso, a fachada do edifício tem um jardim vertical onde foi instalado um sistema de irrigação automático para manutenção das plantas, usando a água da chuva tratada. Martinez lembra ainda que toda a vegetação utilizada no paisagismo do entorno é nativa da região, dispensando o uso de irrigação permanente.

O ISI em Estruturas de Engenharia, em Maringá, tem torneiras com arejadores e válvulas de descarga com duplo fluxo que controlam a vazão e contribuem para a economia de água da edificação. “Esse projeto é mais uma evidência de que o Paraná lidera o Sul e o Sul lidera o Brasil quando o assunto são as construções verdes”, destaca o diretor técnico da Petinelli.

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas