pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

16.09.19
|
Senai ajuda empresas de MS a reduzirem conta de energia em até R$ 62 mil por ano
Fonte: Enfoque MS - 16.09.2019
Mato Grosso do Sul – Após adesão ao Programa Indústria Mais Eficiente, desenvolvido pelo Senai em parceria com o Governo Federal para elevar a produtividade de processos produtivos com a promoção de melhorias rápidas, baixo custo e alto impacto para as pequenas e médias indústrias do País, empresas de Mato Grosso do Sul apresentaram resultados significativos em que a economia na conta de energia chegou a R$ 62.698 por ano, o equivalente a R$ 5.224 por mês.

Esse é o caso da Konesul, de Aparecida do Taboado (MS), que, com ajuste da demanda de energia contratada pela concessionária e correção do fator de potência, além de adequações nos compressores, quando tinha perda de ar, conseguiu reduzir o consumo na carga alvo, ou seja, nos equipamentos onde teve adequações de 54,35%.

"Para nós foi fundamental a consultoria do Senai Empresa dentro desse programa para reduzirmos os custos. Algumas adequações sabíamos que eram necessárias, mas sempre deixávamos para depois e não imaginávamos que a economia seria tão grande. Estamos muito satisfeitos com os resultados e com toda a consultoria e todo o apoio que o Senai Empresa nos deu", afirmou o empresário Thadeu Pessuto Piva.

A indústria Cerâmica Tecor, de Coxim (MS), também apresentou resultados positivos depois de participar do Programa Indústria Mais Eficiente. "Realizamos alterações em equipamentos de pneumática e instalamos um banco capacitor, que não tínhamos e é necessário para o controle da energia reativa. Com isso, conseguimos uma redução do consumo na carga alvo de 43%, gerando uma economia de R$ 44.278 ao ano, que equivalem a R$ 3.689 por mês", comentou.

Já a indústria Alimentos Puma, também de Campo Grande (MS), está em fase de finalização da consultoria e o empresário Edson Antonini está ansioso para conferir os resultados. "Já sabíamos que deveríamos realizar algumas adequações, víamos algumas coisas que tínhamos de mudar, mas como costumamos nos preocupar apenas com a produção, deixamos de lado essas mudanças. Foi só com o Programa Indústria Mais Eficiente que vimos que não são alterações de outro mundo e que são ações importantes, que vão impactar na competitividade da empresa", salientou.

Sobre o Programa

Segundo o engenheiro eletricista do Senai Empresa, Elton da Silva Paim, o Programa Indústria Mais Eficiente consiste na elaboração de um diagnóstico energético com objetivo de identificar oportunidades de melhorias que contribuam para redução do consumo e dos custos de energia na indústria. "A metodologia utiliza como base as premissas da ISO 50.001 com foco em reduzir os desperdícios e otimizar a utilização dos equipamentos, máquinas, insumos energéticos ou processos em curto e médio prazo", explicou.

Ele ainda acrescentou que, paralelamente, é realizada uma análise tarifária para verificação de possibilidades para o ajuste do perfil consumidor e melhor enquadramento para redução de custos. "As intervenções visam elevar a produtividade dos processos produtivos, com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto. Desta forma, como a energia é um insumo de extrema importância e com alto custo, a redução dos desperdícios associada à otimização dos processos é uma maneira prática e assertiva para o melhorar produtividade e elevar a competitividade industrial", ressaltou.

Com 140 horas, a consultoria é dividida em quatro fases: identificação de usos finais e cargas alvo, coleta e análise de dados, apresentação da proposta de intervenção e implementação de soluções e acompanhamento. Em Mato Grosso do Sul, as outras empresas participantes do programa são Guacira Alimentos (Itaporã), Cerâmica Campo Grande, Cerâmica Cotto Figueira (Rio Verde), Portal Glass (Terenos) e Pedreira Santo Onofre (Campo Grande).

"Com a energia elétrica e os combustíveis constantemente aumentando de preço, as indústrias precisam se ajustar para reduzir os seus custos operacionais, e as ações de eficiência energética, que vão desde a utilização de novas tecnologias à otimização da gestão e do planejamento, associadas à utilização de energias renováveis, são práticas importantes e necessárias", finalizou Elton Paim.

Serviço – Mais informações pelo telefone (67) 3311-8533

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas