pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

23.09.19
|
Projeto de ônibus e barco solar irá beneficiar ribeirinhos na Amazônia
Fonte: Canal Energia - 20.09.2019

Pará - Um dos destaques entre os 30 projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) aprovados na Chamada de Mobilidade Elétrica da Aneel e apresentados pelos proponentes em reunião pública no dia 9 de setembro, é a proposta da Norte Energia de criar um sistema de transporte elétrico inteligente e multimodal na Amazônia, envolvendo num primeiro momento dois ônibus e a construção de um barco catamarã movido a energia solar, que terá painéis fotovoltaicos próprios e uma usina de apoio em solo, além de infraestrutura de armazenamento em banco de bateria e eletropostos, num projeto que pretende levar benefícios a população local e novas oportunidades de negócios para empresas da região.

O programa piloto será executado em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), que irá colaborar com a expertise do curso de Engenharia Naval e outros conhecimentos específicos. Já a Fundação CPQD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações ajudará no desenvolvimento de uma rede de comunicação sem fio para a embarcação e no processamento de dados do projeto em nuvem, além de um sistema de gestão inteligente para atendimento do Campus Universitário Guamá, da UFPA, e da população ribeirinha do seu entorno, que será contemplada pela iniciativa.

Sílvia Cabral, superintendente de Planejamento da Norte Energia, conta que a ideia inicial era atuar junto à universidade da região de Belo Monte e as comunidades próximas, e que num momento posterior foi delineado o planejamento para realização de uma rede integrada envolvendo também o setor industrial. “A ABB Sorocaba entrará com o know-how dos eletropostos, e a BYD do Brasil com a comercialização de dois ônibus 100% elétricos e o financiamento de R$ 250 mil para montagem de uma usina fotovoltaica no campus da faculdade, destinada a alimentar as estações de recarga, os veículos e até futuramente abaixar a conta de luz da instituição”, explica a executiva. Para as empresas, que possuem suas matrizes na Suiça e na China, o projeto irá representar uma oportunidade de análise de desempenho e adaptação à realidade nacional dos seus produtos, promovendo eventuais melhorias.

A inclusão da indústria à iniciativa está alinhada a uma nova concepção de escopo para os projetos de P&D, não só da Norte Energia, mas de praticamente todas companhias do setor. Se antes a área era restrita a parcerias como instituições de ensino e pesquisa, com resultados e metas mais acadêmicas e técnicas, o processo de inovação que acontece hoje é mais prático do que teórico, no sentido de desenvolver modelos de negócios que busquem a inserção no mercado dos produtos que ganham vida.

No âmbito da Rede de Inovação no Setor Elétrico (RISE), a ideia de gerar patentes comercializáveis foi inclusive colocada pela Aneel como recomendação na Nota Técnica que avaliou o projeto, mostrando que o órgão regulador também tem trabalhado junto aos setores da indústria e da academia no sentido de promover esse ambiente favorável à inovação e a eficiência energética no mercado.

“Considerando que a indústria de embarcações fluviais local é forte e de grande importância para a economia da região, está faltando na RISE do projeto a participação dessa indústria, inclusive para fixar o conhecimento sobre o tema na região e permitir a continuidade e expansão do modelo de negócio proposto”, diz o trecho do documento. De acordo com a superintendente, já há o contato da Norte Energia com empresas da região para garantir a comercialização do produto numa etapa posterior.

O desenvolvimento e execução do chamado Sistema Inteligente de Gestão Eficiente de Mobilidade Elétrica Multimodal foi avaliado em R$ 11,8 milhões, sendo R$ 10,2 milhões deste aporte a ser desembolsado pela companhia de Belo Monte. Os R$ 1,7 milhão restantes estão divididos entre as demais empresas envolvidas no projeto, que tem duração prevista de três anos, e que num segundo momento poderá contar com a adição de outros modais complementares, como bicicletas e patinetes elétricos.

A área de Recursos Humanos, com cerca de R$ 3,75 milhões, representa 31% do valor total do projeto, sendo a segunda rubrica de maior participação no orçamento. O total de profissionais envolvidos é de 45, entre pesquisadores, coordenadores, gerentes e técnicos. A parte que irá receber a maior parte dos recursos é a dos Materiais Permanentes, que irá angariar cerca de R$ 5,3 milhões, representando 45,27% do quadro de investimentos. Para o cálculo de viabilidade econômica, a proposta considerou uma inflação de 8 % ao ano e taxa de desconto de 7 % ao ano. A partir dessas considerações, o retorno de investimento simples do projeto é de aproximadamente cinco anos, enquanto o payback descontado apresentou tempo de retorno de quase seis anos e meio.

Segundo o parecer do órgão regulador, a relevância econômica das soluções de mobilidade que serão estudadas e testadas consiste principalmente no incentivo a novas oportunidades de negócios na região, tanto para fabricantes de embarcações quanto para as famílias que vivem na localidade, sendo muito representativa e necessária devido às características geográficas do Norte do país.

“Nossa expectativa é muito positiva, sobretudo pela aplicabilidade futura do projeto em comunidades e regiões ribeirinhas e litorâneas, onde a tecnologia embarcada pode beneficiar em muito as populações e o comércio local”, acrescenta Sílvia, afirmando que um “corredor verde” será feito no campus principal da UFPA e em Castanhal, levando a mobilidade elétrica para uma região abundante em vias fluviais, com grande potencial a ser explorado.

Ela ainda ressalta que o barco a ser construído deverá ser híbrido, com a opção do diesel, por conta de uma legislação vigente, no qual embarcações nessas localidades não podem ter uma única opção de propulsão. São extensas e isoladas porções de terra e rios, onde ficar impossibilitado de locomoção pode ser um grande problema.

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas