pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Reportagens
Reportagens
voltar

Assunto: Panorama Nacional
15.04.19
|
Metrô-DF deve economizar R$ 300 mil com uso de energia fotovoltaica em 2019
Distrito Federal – Metrô conta atualmente com duas estações abastecidas por usinas solares; este é o primeiro ano em que ambas estão em funcionamento
Metrô-DF/Divulgação
Débora Anibolete, para o Procel Info
Distrito Federal – A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) deve economizar cerca de R$ 300 mil na conta de energia elétrica em 2019. A estimativa é referente ao funcionamento de duas usinas solares fotovoltaicas instaladas nas estações Guariroba, em Ceilândia e Samambaia Sul, em Samambaia, que estão em seu primeiro ano de operação simultânea. De acordo com o Metrô-DF, os sistemas deverão suprir totalmente a demanda das estações, tornando-as autossuficientes em energia. O projeto é considerado pioneiro, sendo o único do tipo na América Latina.

A primeira usina a ser inaugurada foi a Estação Solar de Guariroba, em 2017. A estrutura foi montada com 578 painéis solares fotovoltaicos, que geram 288 mil kWh por ano, resultando em uma potência instalada de 187 kWp. A estação foi a quarta do mundo a ser abastecida com energia solar fotovoltaica, e rendeu ao Metrô-DF o prêmio Golden Chariot International Transport Award no evento Metas de Desenvolvimento Sustentável – Transporte e Paz, realizado no mesmo ano na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), na Suíça.

A unidade de Samambaia Sul entrou em funcionamento cerca de um ano depois, em dezembro de 2018. A usina conta com 561 placas fotovoltaicas, que, segundo a companhia, são capazes de gerar energia superior à necessidade do terminal metroviário. De acordo com o diretor-técnico do Metrô-DF, Luiz Carlos Tanezini, caso haja excedente de energia nas duas plantas, esse excedente deverá ser redistribuído para outras unidades do sistema, podendo ser usado até mesmo para garantir o funcionamento dos trens.
As estações solares fazem parte do Plano Estratégico Institucional 2017-2021, que prevê ações para economia de papel, de água, energia e para reciclagem de objetos.

“Por conta da nossa configuração interna de ligações elétricas em 13,8kV, toda energia excedente é naturalmente consumida em Subestações Auxiliares (Estação de Passageiro) ou Retificadoras (Sistema de Tração), com uma probabilidade muito pequena de retorno à Concessionária de Energia (CEB). Caso haja algum retorno de energia à concessionária, no fechamento da conta mensal de energia, o valor de geração é automaticamente revertido em crédito para o Metrô-DF. Assim, toda energia é sempre aproveitada”, explica.

Segundo Tanezini, a companhia planeja investir o valor economizado com energia em outras atividades operacionais, como a modernização dos sistemas elétrico e de segurança. Além disso, a empresa estaria estudando a implementação de novas usinas em outras estações e no Complexo Administrativo e Operacional do Metrô-DF, localizado em Brasília.

Programa Metrô Sustentável

O projeto de minigeração de energia limpa desenvolvido nas estações de Guariroba e Samambaia Sul é parte de uma série de ações que integram o Programa Metrô Sustentável. A iniciativa, que está prevista no Plano Estratégico Institucional 2017-2021 da companhia, visa à racionalização da utilização de água e energia elétrica em suas operações, a implementação de uma agenda ambiental na administração pública e atividades de conscientização sobre o uso de recursos naturais.

“O Programa Metrô Sustentável está passando por reformulações. Ele foi criado em 2015 e desenvolve ações no âmbito da sustentabilidade com o intuito de reduzir o impacto ambiental de suas atividades e cumprir com sua responsabilidade social. Entre elas, elaboração de projetos de preservação do meio ambiente, como ações para economia de papel, de água, energia e para reciclagem de objetos”, enumera o diretor-técnico da empresa.

Nesse contexto, em 2018, a empresa passou a reutilizar água proveniente de aparelhos de ar-condicionado, com a instalação de pontos de coleta. Também foram perfurados dois poços artesianos para a limpeza dos trens e irrigação do Complexo Administrativo e Operacional da companhia.
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas