pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Reportagens
Reportagens
voltar

Assunto: ESPECIAL
03.08.20
|
Ações do Procel proporcionaram economia de 21,6 bilhões de kWh
Rio de Janeiro – Com investimentos de mais de R$ 130 milhões, projetos de eficiência energética apoiados pelo Procel postergaram investimentos de cerca de R$ 5,34 bilhões em expansão do sistema elétrico nacional
Tiago Reis, para o Procel Info
Rio de Janeiro – O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) divulgou nesta sexta-feira (31/07) o relatório anual consolidado das ações executadas pelo programa durante o ano de 2019. Em 12 meses, os projetos desenvolvidos pelo Procel proporcionaram uma economia de energia de aproximadamente 21,6 bilhões de kWh, o equivalente à produção anual de uma usina com capacidade instalada de 5.182 MW, ou seja, metade da capacidade da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, ou quase 4 vezes a capacidade da usina nuclear Angra 2, no Rio de Janeiro. Além disso, estima-se que as ações implementadas pelo Procel no ano passado contribuíram para uma redução de demanda na ponta de 8.129 MW, volume de energia semelhante ao gerado pela usina de Tucuruí, no Pará, a segunda maior do país em potência instalada.

O relatório também mostra que as ações de eficiência energética desenvolvidas pelo Procel em 2019 resultaram numa redução do consumo de energia de 4,48%, o que postergou investimentos de aproximadamente R$ 5,34 bilhões em expansão do sistema elétrico nacional em 2019. Levando em consideração apenas o consumo de energia das famílias, a redução do consumo de energia foi da ordem de 15,22%. Essa energia economizada seria suficiente para atender mais de 11 milhões de casas durante um ano em todo o país.

No aspecto ambiental, os resultados do Procel também apresentaram números significativos. A energia economizada ajudou o país a evitar que 1,6 milhão tCO2 equivalentes fossem liberadas na atmosfera, o que corresponde às emissões proporcionadas por 557 mil veículos durante um ano.

“Esta edição do relatório Resultados Procel fornece uma visão abrangente do trabalho realizado ao longo de 2019, evidenciando que o setor energético tem sido desafiado por uma enorme gama de transformações. Tal como ocorre em várias áreas de atuação, essas transformações só podem ser endereçadas em suas interações com outros temas relevantes, mutuamente relacionados, tais como: conectividade e digitalização da sociedade, crescimento das cidades e mudanças climáticas. Tudo isso em um cenário de crescentes necessidades de iluminação, refrigeração, mobilidade e outros serviços de energia”, destaca o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr. em declaração publicada no relatório.

Em termos históricos, desde a criação do Procel, em 1986, foram investidos mais de R$ 3 bilhões em ações de eficiência energética contando com recursos da Eletrobras, da Reserva Global de Reversão (RGR), da Lei n.o 13.280/2016 e de investimentos de parceiros internacionais. Com a instituição da Lei n.o 13.280/2016, desde 2017 o programa passou a contar o Plano de Aplicação de Recursos do Procel (PAR-Procel), uma fonte permanente de recursos financeiros que fornece estabilidade e previsibilidade para os investimentos do Procel. Em dois ciclos do PAR-Procel, já foram empenhados R$ 208,06 milhões em iniciativas com objetivo de aumentar a eficiência energética do país. Para os próximos 12 meses, o orçamento do Procel prevê investimentos de mais de R$ 322 milhões em 29 projetos aprovados para o 3º PAR-Procel.

Considerando os resultados acumulados do Procel no período de 1986 a 2019, a economia de energia total obtida foi da ordem de 173,2 bilhões de kWh.

Principais projetos

Os resultados energéticos globais alcançados pelo programa em 2019 se devem principalmente a ações envolvendo o Selo Procel de Economia de Energia. Instituído em 1993, o Selo Procel vem contribuindo para um aumento dos índices de eficiência energética de diversos equipamentos e, consequentemente, para uma redução significativa do consumo de energia elétrica no país, indicando que uma das principais linhas de ação do Procel está direcionada para o consumidor final, por meio da orientação e do estímulo à aquisição de equipamentos mais eficientes.

Entre os trabalhos desenvolvidos no âmbito do Selo Procel está a 1ª edição do Acompanhamento de Mercado dos Produtos Contemplados com o Selo Procel de Economia de Energia. O trabalho buscou aferir a adequação dos produtos que possuem o Selo Procel aos critérios específicos de cada categoria. Para isso, foram adquiridas no mercado varejista nacional (lojas físicas e online), entre março de 2018 e maio de 2019, 1.362 amostras de 295 modelos. Os produtos integravam nove categorias: módulos fotovoltaicos; bombas centrífugas; ventiladores e micro-ondas; lâmpadas; reatores; refrigeradores; coletores solares e reservatórios térmicos; máquinas de lavar roupas; e condicionares de ar. Todos os modelos foram testados em laboratórios contratados pelo Procel para realizar testes de eficiência energética e emitir relatórios com a avaliação dos resultados. E o resultado foi altamente satisfatório, mostrando a qualidade e eficiência dos produtos que ostentam o Selo Procel. Dos mais de 1,3 mil produtos testados, apenas 92 apresentaram não conformidades e tiveram que passar por uma segunda etapa de análise para continuar exibindo o Selo Procel.

No âmbito do Procel Reluz, a Chamada Pública Procel Reluz 01/2019 foi o principal projeto desenvolvido no ano passado. Iniciada em junho e concluída em dezembro, a seleção aprovou projetos individuais de 67 municípios e de dois consórcios. Ao todo, os 77 municípios dividirão cerca de R$ 30 milhões para a substituição de luminárias antigas pelas luminárias com a tecnologia LED na iluminação pública. O projeto sobre Descarte de Luminárias LED também foi organizado pela equipe do Procel Reluz em 2019. Com as chamadas públicas com foco em iluminação de LED, surgiu o desafio de definir a destinação final adequada deste novo material. Com aporte de R$ 381 mil, a iniciativa desenvolvida pela empresa Genos Engenharia e Consultoria Ambiental possibilitou mapear os principais aspectos normativos e legais referentes ao descarte de equipamentos eletrônicos no Brasil e no mundo, subsidiando a atualização do manual de descarte de equipamentos de iluminação pública do Reluz. Também foi elaborado um diagnóstico do descarte de equipamentos de IP nos municípios brasileiros. Entre outros resultados, o levantamento mostrou que quase metade dos municípios consultados não possui uma estratégia adequada para essa atividade.
‘Desde 1985 o Procel investiu mais de R$ 3 bilhões, que resultou na redução custos no sistema elétrico da ordem de R$ 42,8 bilhões. Para cada real investido pelo Procel, a sociedade teve 14 como benefício’

No Procel Edifica, o destaque ficou por conta da execução dos trabalhos previstos na Chamada Pública Procel Edifica 2018. Com ações previstas até 2023, a seleção aprovou projetos em três segmentos: Construtoras e incorporadoras; Empresas de facilities e administradoras prediais; e Empresas/instituições públicas ou privadas que possuam edificações horizontalizadas. Em 2019, as atividades envolveram parte das beneficiárias das duas primeiras áreas de atuação, que incluem, respectivamente, os subprojetos Etiquetagem e Selo Procel Edificações nas Construtoras e Desenvolvimento Energético Operacional (DEO).

Já o Procel Indústria concentrou seus investimentos no segundo ciclo do Programa Aliança . Em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Ministério de Minas e Energia (MME), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o programa passou a contar com aporte financeiro do Procel a partir de 2017, quando foram selecionadas 12 plantas industriais com grande consumo energético. Por meio de acordos voluntários, as indústrias interessadas recebem consultorias de especialistas. O valor é parcialmente financiado pelo Procel, por meio do PAR, e o restante é aportado pelas indústrias participantes. A intenção do programa é que os ganhos energéticos nas indústrias sejam mantidos em longo prazo e que o tema eficiência seja inserido nas agendas estratégicas das empresas participantes.

Com objetivo semelhante, mas destinado a pequenas e médias empresas (PMEs), o Programa Brasil Mais Produtivo (B+P EE) também recebeu recursos do Procel em 2019. Criado em 2016, o B+P é coordenado pelo Ministério da Economia, com gestão operacional da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e executado pelo Senai e pelo Sebrae. Com a expansão do programa, em 2017, o Procel passou a contribuir com as ações de eficiência energética para redução do consumo nas indústrias e manutenção dos ganhos em curto ou médio prazos.

Na área educacional, a nova versão do Energia que Transforma, metodologia desenvolvida para o Procel nas Escolas, foi o principal projeto desenvolvido pelo Procel Educação em 2019. Em parceria com a Fundação Roberto Marinho, foi criado o aplicativo Supereficiente, por meio do qual o jogador tem a missão de gerenciar diferentes demandas de eletroeletrônicos. A missão é percorrer diversos cenários de cidades (rural, pequena, média e grande), com variantes como estações do ano e necessidades de iluminação e refrigeração, de forma a manter o consumo de energia abaixo do limite. A cada experiência bem-sucedida, o usuário sobe de nível, liberando o acesso a novos locais.

Por sua vez, o Procel Marketing deu continuidade nas ações de divulgação na mídia dos trabalhos desenvolvidos pelo Procel. Com uma campanha publicitária que entrou no ar no segundo semestre de 2019, o setor de marketing buscou valorizar a escolha de eletrodomésticos mais eficientes – ou seja, com o Selo Procel, e também consolidar uma imagem mais abrangente do programa. A ideia foi reforçar que o Procel vai além do selo, sendo responsável por projetos de eficiência energética em vários setores da sociedade, como o industrial, de iluminação pública e de edificações. Os produtos dessa campanha foram veiculados na TV aberta e por assinatura, no rádio, em revistas, em portais de notícias, redes sociais e em painéis digitais instalados em aeroportos e estações de trens e metrô. Somando todas as mídias, mais de 200 milhões de brasileiros foram alcançados com as ações do Procel Marketing.

Projetos Estruturantes

Uma novidade nas atividades do Procel em 2019 foi a implementação de projetos chamados de estruturantes. Esses projetos são atividades que envolvem o interesse de entidades públicas e privadas e têm como objetivo auxiliar o planejamento estratégico do setor elétrico, com foco na eficiência energética.

No ano passado foram executados dois projetos estruturantes: a quarta edição da Pesquisa de Posse e Hábitos de Uso de Equipamentos Elétricos na Classe Residencial (PPH-2019), que monitora os hábitos de consumo de eletricidade da população e que, entre outras aplicações, ajudará a construir o Plano Decenal de Eficiência Energética, outro projeto estruturante iniciado em 2019, cujo objetivo é formular políticas de redução de uso de energia nos principais setores socioeconômicos.

A PPH teve como objetivo conhecer o comportamento, as características de consumo e o nível de conhecimento da população sobre eficiência energética. O Procel realiza periodicamente, desde 1998, essa pesquisa.
’Os projetos estruturantes apoiados pelo Procel atuam prioritariamente no planejamento estratégico do setor elétrico, com foco na eficiência energética’

Já a elaboração do primeiro Plano Decenal de Eficiência Energética (PDEf) tem a coordenação técnica do Procel e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O PDEf segue um modelo semelhante ao Plano Decenal de Energia (PDE), mas com viés contrário: em vez de orientar o mercado e as políticas públicas de expansão da oferta, formula políticas de redução de consumo nos principais setores socioeconômicos. O novo plano surge num cenário em que o setor de energia almeja economizar 10% no consumo de energia até 2030, a fim de seguir as metas de redução global de emissões ratificadas pelo Brasil em 2016, quando o Congresso Nacional aprovou a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) do País. Por isso, o Plano Decenal deve detalhar propostas de ações de eficiência energética, de modo a apontar um conjunto de alternativas para viabilizar os ganhos pretendidos nesse período. No final de 2019, foi contratada a empresa de consultoria que irá assessorar no levantamento dos dados dos principais setores de consumo final (edificações residenciais, públicas e comerciais, saneamento, iluminação, indústria). A previsão é de que o primeiro PDEf seja publicado em dezembro deste ano.

“Os números [deste relatório] nos enchem de orgulho, por uma razão simples: representam impacto real para as pessoas. Pessoas que são a inspiração do trabalho realizado. Pessoas que são o motor da criatividade e da engenhosidade postas a serviço da eficiência. Pessoas que sonham, realizam e transformam a realidade à sua volta”, celebra Wilson Ferreira Jr.

Para conhecer os resultados de todas as ações desenvolvidas pelo Procel no ano de 2019, basta consultar o Relatório disponibilizado neste link .
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas