pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Reportagens
Reportagens
voltar

Assunto: Revista Brasil Energia - Julho 2020
10.09.20
|
Solar como estratégia de políticas públicas
Estados estão incluindo a geração fotovoltaica em edificações, o que gerará milhões em investimentos no curto e médio prazo
Rio de Janeiro - A geração fotovoltaica está sendo cada vez mais incluída nas políticas públicas de diferentes áreas. Neste semestre, governos estaduais, em especial, anunciaram projetos envolvendo o uso da fonte em edificações, visando promover a redução de impacto ambiental e a economia de custos com energia elétrica.

A principal iniciativa vem do governo do Piauí, que no dia 20/07 licitará um projeto pioneiro que prevê a formação de parceria público-privada (PPP) para construção de oito miniusinas solares, cada uma com 5 MW. A iniciativa vai garantir a autossuficiência de toda a demanda energética dos prédios da administração pública estadual.

A expectativa é que a PPP das miniusinas resulte em uma economia de R$ 7 milhões por ano nos gastos do estado com eletricidade, que custam cerca de R$ 44 milhões. A previsão total de investimentos da iniciativa privada é de cerca de R$ 175 milhões. O presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, que apoiou a elaboração da iniciativa, comentou que “o projeto avançando no Piauí serviria de referência para outros usos de energia solar em PPPs”.

Outro destaque parte do Tocantins. Em maio, o governo sancionou um projeto de lei que garante a instalação de sistemas de energia solar em novas edificações, reformas ou obras de manutenção de prédios públicos estaduais. A matéria altera a Lei 3.179 de 2017, que instituiu a Política de Incentivo à Geração e ao Uso da Energia Solar (Pró-Solar).

Por sua vez, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) anunciou neste mês que vai instalar 34 usinas solares fotovoltaicas em áreas operacionais disponíveis – na maioria, estações de tratamento de esgotos, do tipo lagoa de estabilização, que possuem terrenos ociosos. No total, serão 67 MW de potência instalada, o que corresponde a 4,5% de toda a energia consumida na companhia. A expectativa é que a produção de energia seja iniciada já no segundo semestre de 2020.

Já o governo do Ceará prevê lançar até o fim deste mês o edital de licitação para a instalação de sistemas fotovoltaicos em 32 escolas da rede pública estadual, informou a Secretaria da Infraestrutura (Seinfra). A previsão é que sejam investidos R$ 9 milhões no projeto, com recursos do Fundo de Incentivo à Eficiência Energética e Geração Distribuída (FIEE), coordenado pela Seinfra.
Clique no link abaixo e leia a reportagem na íntegra
Revista Brasil Energia_Solar como estratégia de políticas públicas.pdf
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas